A beleza e bem estar de um seio equilibrado

Os seios da mulher são um dos elementos mais importantes da beleza feminina e símbolo da maternidade, uma alteração na sua forma ou volume, pode ter repercussões que não devem ser subestimadas.

A hipertrofia mamária é uma afeção caracterizada por um aumento do volume dos seios acima das suas proporções normais. Esta hipertrofia pode dar-se na puberdade (hipertrofia virginal da mama) e entre as suas causa figura uma hipersensibilidade as hormonas femininas.
Apesar da pele nestas idades costumar ser tónica, aparecem estrias provocadas pelo aumento tão repentino.

Na mulher adulta, a hipertrofia pode dever-se a um aumento do tecido gordo que invade a trama conjuntiva da mama, como consequência disto a mama pode ser grande, pouco elástica, e com uma vascularização precária.
Estas hipertrofias levam a paciente a alterar o seu comportamento social, a alterar o tipo de roupa, a prática de desportos, e a ocasionar complexos principalmente nas jovens.

O sobrepeso que significa uma mama hipertrófica conduz com frequência a transtornos funcionais como dores de costas ou alterações posicionais da coluna, sendo tudo isto acentuado nas idades mais jovens pelo hábito nestas idade de encurvar para a frente os ombros com o intuito de dissimular o tamanho do peito.

A redução mamária é uma técnica cirúrgica que tem como objectivo modificar a forma e o tamanho da mama para adequa-la aos requerimentos estéticos e funcionais da paciente.

Procedimento

Existem muitos procedimentos descritos para a realização de uma redução mamária mas todos eles têm em vista dois objectivos principais: elevar a aréola e o mamilo, reduzir o tamanho da mama, e terminar com cicatrizes residuais dissimuladas.

As cicatrizes são uma redonda à volta do complexo aréolo-mamilar, uma vertical desde a aréola até ao sulco submamário e uma horizontal no sulco, resultando uma cicatriz total em T invertido.

O tamanho desta cicatriz no sulco vai depender da base de implantação da mama, do seu prolongamento axilar e da distância que separa uma mama da outra.
A cirurgia é feita sob anestesia geral, tem a duração de 2h, pode ser feita em ambulatório, requer um sutiã especial colocado imediatamente a seguir á cirurgia, e pode haver ou não a necessidade de colocação de drenos aspirativos.

Este tipo de intervenção não se reduz a uma simples questão estética mas também de saúde.

Mulheres cansadas de dores nas costas, cansadas de procurarem sutiãs cómodos que sustentem e disfarçam, e cansadas de procurar roupa que corresponda à desproporção das suas medidas de peito/cintura/anca.

Pré-Operatório

Os exames médicos prévios são mandatórios pois podem contraindicar a cirurgia, é sempre obrigatório uma ecografia e mamografia para termo de comparação com todas as posteriores depois da arquitetura da mama ser modificada.

Se for fumadora é importante abster-se de fumar 2 semanas antes e 2 depois, e o cirurgião e o anestesista deverá ser informado de toda a medicação que toma.

Pós-Operatório

Como a cirurgia é feita em ambulatório deve permanecer na clínica durante o tempo necessário para fazer analgesia e verificar se a drenagem aspirativa está funcionante (no caso de ter drenos).

Irá ter alta com sutiã elástico por cima de compressas que deverá apenas ser retirado 2 dias depois quando iniciar a drenagem linfática e a remoção dos drenos(caso tenha sido necessário coloca-los).

Poderá sentir um certo desconforto com os movimentos ou a mover os braços.
A vida sócio-laboral poderá ser iniciada ao 4º dia pós-operatório e atividade física só ao fim de 1 mês.

Os pontos serão retirados ao fim de 8-10 dias, e o sutiã será para usar durante um mês, devendo evitar-se o uso de sutiã de aros nos 3 meses seguintes.

As cicatrizes para além de serem tratadas pela terapeuta enquanto faz drenagem linfática, requerem certos cuidados tardios para se tornarem impercetíveis como por exemplo: uso de cremes hidratantes, cremes regenerativos, uso de lâminas de silicone, uso de compressão elástica (normalmente as barras do próprio sutiã).

Não se deve apanhar sol durante o 1º mês nem fazer sauna durante os 3 primeiros meses.

O resultado final só é definitivo ao fim de 4 meses, e as cicatrizes só estabilizam ao fim de 6 meses.

Perguntas frequentes

A partir de que idade posso reduzir minhas mamas?

A partir do fim do crescimento por volta dos 18 anos, excepto em casos em que há uma grande hipertrofia virginal, em que se pode reduzir mais cedo.

Esta cirurgia deixa cicatrizes, que tipo de roupas de banho e sutiã poderei usar?

Esta cirurgia deixa sempre cicatrizes, no sulco infra-mamário, peri-areolar e vertical, que ao fim de um ano se tornam imperceptíveis, principalmente a cicatriz vertical e a peri-areolar (a volta do mamilo).A cicatriz do sulco alem de ser escondida na prega cutânea infra-mamária será tanto menor quanto menor for a quantidade de pele e tecido mamário a retirar.

Posso ter alterações de sensibilidade após a cirurgia?

Com as técnicas praticadas atualmente só há uma ligeira alteração da sensibilidade imediatamente após a cirurgia que é recuperada ao fim de 3 semanas.

Tenho as mamas com formato e tamanho diferentes, vão ser corrigidas?

Claro, esta é uma das prioridades da cirurgia, reduzir e sobretudo simetrizar.

Poderei ainda amamentar?

Poderá sempre amamentar pois não há qualquer interferência com os canais galactóforos.

Posso me arrepender de diminuir demasiado a mama?

Isso não deverá nunca acontecer pois há um planeamento cuidado antes da cirurgia no sentido de em conjunto médico-doente se encontrar a forma e o tamanho ideal para a constituição física e gosto pessoal de cada paciente.

Quais são os riscos desta intervenção?

Como em qualquer intervenção cirúrgica os riscos são hemorragia, infeção, complicações relativas à anestesia.
Em relação à própria cirurgia embora os riscos desta intervenção sejam baixos os principais são:

  • diminuição da sensibilidade do mamilo que na maior parte das vezes é temporária mas pode ser permanente;
  • a cicatriz ,caso fique muito notória, pode vir a precisar de pequenas correções;
  • diferenças de tamanho ou forma podem requerer retoques, embora seja muito raro.

Como se deve dormir e que movimentos a evitar?

Deve-se dormir sempre com o sutiã durante o primeiro mês e evitar-se dormir de barriga para baixo até as cicatrizes estarem totalmente completamente curadas.
Devem ser evitados esforços de braços como pentear-se, pegar pesos, carregar malas ou pegar em crianças até estar tudo totalmente cicatrizado, embora possa ter toda a mobilidade normal a partir do dia seguinte.

Quando se poderá retomar a vida sociolaboral?

Depende do tipo de trabalho que realize, se for de secretaria, pode começar ao 2º dia, se for esforços que exijam grandes movimentos é conveniente esperar 7-10 dias.
Exercício físico ao fim de 1 mês.

Quando fazer uma nova mamografia?

Por questões de controlo recomendamos uma ao fim de 6 meses, a partir dessa altura deve seguir a frequência habitual exigida pelo ginecologista.

Antes e depois




Marque já a sua consulta